maio 20, 2008

Quem bebeu isso?

Bom, em mais uma semana estaríamos com a trupe completa. Ter 3 bebês em casa não é uma coisa que muita gente saiba como lidar, não tínhamos um manual e nem pra quem pedir dicas. Fomos inventando estratégias para deixar tudo o mais prático possível. Eram estratégias de sobrevivência. Tudo era feito no atacado e precisava de planejamento anterior para não atrapalhar o andamento da casa.

Mas, antes de contar como funcionava nossa casa pra cuidar dos trigêmeos, tenho que contar uma outra estória que um grande amigo me lembrou nesse fim de semana. Encontrei alguns grandes amigos nesse sábado, na tradicional feijoada do Mario [foi ele que emprestou os berços pros meninos]. Acho que eu não os via há um ano. Um deles, o Nuno, me fez lembrar de uma coisa que eu já tinha esquecido, mas que, olhando pra trás agora, foi um marco na passagem da vida de casal para a vida de pais de trigêmeos. Pelo menos pra mim, isso foi uma coisa chocante.

Desde que eu me casara com Bia me encarreguei de fazer as compras da casa. Além de ter mais tempo pra isso, eu era mais objetivo e, por conseqüência, mais econômico. Fora o fato de gostar de ir ao mercado, à quitanda e essas coisas herdadas de meu pai, que aos sábados me levava com ele ao mercado pra comprar alguma coisa diferente que seria preparada nos almoços do fim de semana. Então, eu sabia o quanto gastávamos e o quanto consumíamos de cada produto, o tempo que cada um durava, etc. Já nessa época comprava no Makro, porque sempre achei que valia a pena comprar no atacado.

Então, um dia de manhã, saindo pra Universidade [e eu saía cedo, por volta das 6:15 da matina, porque tinha uma viagem de 50 minutos pela frente], coloquei um detergente novo na pia da cozinha. Um detergente desses normais, 500 ml, tipo ipê, amarelo. Passei o dia trabalhando, dando aulas [que nesses primeiros dias devem ter sido sofríveis, e eu lá tinha concentração pra dar aula???] e quando cheguei em casa, o detergente estava no fim. Não estou exagerando não, não era pela metade, estava no fim, no osso, coisa de meio dedo no fim do frasco. Eu olhei aquilo e fiquei alucinado, transtornado. ‘Cadê o detergente’, perguntei. ‘Que detergente?’, Bia respondeu. ‘O detergente, oras, aquele que coloquei aqui hoje de manhã?’, eu disse. ‘Mas é esse mesmo’, respondeu Bia. Cara, fiquei maluco e sai dizendo que não era possível, que assim ia ser inviável, que não dava, que deveria ter alguém bebendo detergente, onde já se viu um detergente inteiro em um dia?

Mas era isso mesmo, a realidade era essa e seria assim por muito e muito tempo. Eu e Bia, sozinhos, usávamos um detergente por mês. Talvez durasse até mais de um mês, dependendo do que fazíamos de refeições em casa. Do dia pra noite, passamos de 1 detergente por mês pra 1 por dia!. Era pra ficar louco, não era? Eu fiquei. Teria que comprar um detergente por dia, 30 por mês? Que loucura era essa? Dei uma bronca tão grande em todo mundo, fiz um discurso tão forte sobre economia doméstica e que assim não daria pra manter a casa que conseguimos chegar a 5 detergentes por mês fazendo muita economia. De qualquer jeito, acho que foi aí que caiu a ficha de que manter nossa casa agora seria muito, mas muito mais dispendioso. Afinal, tínhamos um casal, 3 crianças [o Diogo chegaria logo], duas avós, duas mocas trabalhando, fora as visitas. Passamos de uma casa onde vivia um casal para uma casa com 6 adultos e 3 crianças. Fácil, não é???!!!

Devo ter chegado à Universidade no dia seguinte irado, soltando os bofes pelas ventas. E, claro, contei isso pra todos os amigos, meio num desabafo. O Nuno me lembrou dessa estória nesse sábado, dando risada. Eu fiquei arrepiado e dei boas risadas com a lembrança. Não sei quantos detergentes se usam em casa hoje, apesar de continuar sendo o comprador oficial. Acho que por volta de 3 por mês...é, as coisas mudam...

4 comentários:

Re disse...

Oi Roberto,
Nossa, que loucura! Mas uma loucura gostosa, que hoje dá muitas alegrias né?
Brinco com meu marido que, se um dia decidirmos ter filhos, que eu quero gêmeos...ele ri e diz que sou maluca...é, depois do seu relato já não sei mais se vou querer mesmo..hehehe
Parabéns pelo blog e pela família linda
Abraços

Pai dos trigemeos disse...

Oi Re!
nao sabia que o Roberto tambem tinha trigemeos! (rsrsrsrs)
Eu sou o Octavio do TN..lembra?...que voce conheceu nesse domingo?
Eh uma loucura mesmo, a verdadeira vida selvagem, pura aventura!
que bom que gostou do blog.
[]s

Dani disse...

Oi Octávio e Bia!

Nós tb gostamos mto de conhecer vcs!! Obrigada pelo recadinho lá no blog!
O encontro foi mto legal, obrigada pela hospitalidade!

Achei ótima a idéia do blog!! Parabéns!

Abraços

camila disse...

oi tatá,
nossa que loucura 1 detergente por dia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
bom muitos bjs, camila